Aquecimento global: ciência ou religião?

O livro do professor da UnB Gustavo M. Baptista Aquecimento global: ciência ou religião (encontrável na Livraria Cultura) é escrito de forma bem fácil, e é dirigido a todos os leitores que têm a coragem de quebrar o tabu de que o aquecimento global é uma manipulação de falsas informações, que interessam a certos setores de uma ciência que luta pelo domínio econômico de seus patrocinadores.

Não se trata de teoria da conspiração, como dizem os ecoterroristas, muitos dos quais, como menciona o autor, não conseguem distinguir tempo e clima.

Ao contrário, o professor Baptista demonstra que não se pode acreditar em dados cujas fontes têm variado ao longo do tempo e do espaço. Por exemplo, o número de estações meteorológicas diminuiu no mundo todo, nos últimos 20 anos, e, o pior, justamente as de zonas rurais. Ou seja, sobraram maior número de informações de estações de áreas urbanas, que, por si só, já são ilhas de calor. O livro mostra, além disso, com fotos, uma série de estações meteorológicas que não poderiam ser instaladas em locais mais mal escolhidos, dadas as interfências nos resultados das coletas (como em estacionamentos asfaltados, junto de fonte de água, …). Isso nos Estados Unidos!! Imaginem então o que poderia estar ocorrendo em outras fontes de dados!

O livro, como não poderia deixar de ser, trata dos vulcões e da antigamente famosa camada de ozônio, do El Niño e do La Niña. Fala, evidentemente, da emissão de dióxido de carbono pela humanidade, e pelo efeito estufa provocado pela água (sobretudo os oceanos).  Como não poderia deixar de ser, um capítulo para tratar das manchas solares (maiores do que a própria Terra).

E naturalmente, o mais grave de tudo, a inquisição que imprensa e “ciência” fazem contra os “céticos”, ou seja, todos aqueles que não professam os dogmas que foram emitidos por Sua Santidade Al Gore I, em sua bíblia “Uma Verdade Inconveniente“. Quantos projetos de estudos são vetados, em todas as partes do mundo, por que não se ajustam à “verdade” do aquecimento global, fabricada pelo ex-vice-presidente dos Estados Unidos?

Para concluir, selecionei uma frase que o autor retirou de um livro do cientista Marcel Leroux: “na atmosfera do IPCC não há água”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s